Social Icons

facebookGoogle+rss feedemailpinterestyoutube

DESTAQUE

9 de dez de 2015

VAREJO EM CRISE: COMO DIFERENCIAR-SE E MANTER AS VENDAS?

Por Mariana Costantini*

O Brasil está passando por um momento delicado em função da crise e, por isso, tudo fica mais caro e o dinheiro do consumidor ganha outras prioridades. A demanda diminui e oferta aumenta, o varejista perde na margem para manter o volume de vendas e a fidelização do cliente que, por sua vez, cada vez mais quer barganhar. Tempos difíceis!

Mas existe luz no final desse túnel. A palavra-chave é reinventar-se, o que pode se dar pela modernização de processos e novos desafios. Afinal, existem dois tipos de pessoas, aquelas que choram e aquelas que vendem lenços. Enquanto gestores devemos transformar ameaças em oportunidades de crescimento. Cabe somente a você definir qual caminho quer seguir.

Assim, elenquei algumas ações e reflexões que podem ajudar seu negócio a se sobressair, impulsionando as vendas. Veja abaixo:

- Reduza despesas: quando os caixas estão cheios não damos a devida atenção a detalhes, mas você consegue economizar muito dinheiro revendo processos e o consumo de insumos tais como copos descartáveis, materiais de escritório, água, impressões, lâmpadas etc. Controle precisamente esses gastos, reveja e renegocie com seus fornecedores e busque formas de otimizar e/ou reduzir o consumo interno.

- Crie parcerias: junte-se a outras empresas que agreguem valor ao seu negócio para criar ações diferenciadas, por exemplo, um salão de beleza pode receber um encontro de revenda de lingeries ou pode ser o espaço para um curso de maquiagem, dessa forma você garante fluxo e divulga-se sem grandes investimentos.

- Reveja o mix de produtos e serviços: estoque é um investimento de alto risco e significa capital parado. Certifique-se que seus produtos estão vendendo dentro do prazo ideal: considere vender o suficiente antes do vencimento da nota de faturamento do fornecedor. Procure adquirir produtos com saída garantida e produtos atemporais, pois não perdem seu valor em função de modismo. Quanto aos serviços, crie combos e oferte novidades sempre.

- Facilite o acesso dos clientes aos produtos: reveja seu layout e a disposição de produtos, estude uma forma de facilitar a proximidade e o toque nos produtos para que o cliente perceba o valor agregado de cada item. Crie ambientes e exposições de forma a valorizar seus artigos e, consequentemente, aumentar o desejo de consumo. Coloque os produtos mais novos como chamariz na entrada da loja junto às ofertas e no interior cruze a exposição de produtos relacionados (cross merchandising).

- Crie ações relâmpago: uma ação criativa e rápida desperta a atenção e o senso de urgência nos consumidores, garantindo vendas por impulso. As mídias sociais podem ser ótimas (e gratuitas) aliadas.

- Troque suas vitrines: quando você seduz o consumidor e o convence de que na sua loja encontra-se o maior objeto de desejo dele, não há nada que o faça desistir da compra, por isso, crie vitrines encantadoras e as troque com periodicidade. Além de seduzir, elas comunicam novidades... e o consumidor, mesmo em épocas de crise, continua curioso!


Mexa-se. Crie. A melhor solução está no seu próprio negócio. 

*Mariana Costantini é colunista colaborativa do MMdaMODA. Formada em Negócios da Moda pela Universidade Anhembi Morumbi, iniciou a carreira como Estilista e através do seu trabalho descobriu a paixão pelo visual merchandising. Atualmente trabalha no varejo de moda com expertise nos segmentos de cama, mesa, banho e decoração, criando técnicas e confeccionando books orientativos para ações de PDV (marianacostantini@gmail.com).

3 de dez de 2015

VITRINES PLUS SIZE: VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO ERRADO

Por Surya Guimaraens*

Nunca se falou tanto em moda plus size como agora. O varejo de moda cada vez mais reconhece que este é um segmento de mercado e que deve ser estudado e explorado, já que o potencial de consumo é enorme.

Enorme pois, para se ter uma ideia, mais da metade da população brasileira está acima do peso e 17% são considerados obesos, em sua maioria mulheres. Segundo o IBGE esses números vêm aumentando rapidamente a cada ano.

É claro que ainda existe muito preconceito envolvido na comercialização de produtos para o público plus size. E, não é difícil encontrar lojas que colocam roupas de tamanhos maiores para vender acreditando que elas se auto venderão, isto é, não pensam em comunicação visual, exposição ou produções elaboradas desses artigos.

De fato, o público plus size era tímido quanto ao consumo, envergonhavam-se de entrar em lojas especializadas ou pedir por números maiores às vendedoras. Mas na medida que a moda tem buscado valorizar essa beleza real e criado semanas de moda plus size repletas de modelos lindas, como a top internacional Flúvia Lacerda, as consumidoras finais estão mais dispostas e interessadas em consumir de forma aberta.


As vitrines, assim como o interior das lojas, têm sido trabalhadas de forma muito ruim e depreciativa. Por exemplo, existem manequins com silhueta deformada ou design ultrapassado. Se os manequins são um simulacro e, portanto, servem para os consumidores se projetarem e se identificarem, é importante que eles sejam bonitos e modernos. Qualquer tipo de consumidor, por mais que busque pechinchas, sempre priorizará a beleza. E moda, lembre-se, acima de tudo vende desejos.

Então, muito cuidado na hora de escolher os manequins plus size, eles precisam mostrar formas harmoniosas que possibilitem um bom caimento das roupas e que representem a identidade da marca. Hoje já há no mercado linhas de manequins fantásticas que vão despertar desejos e valorizar seus produtos.






As técnicas de vitrinismo para o segmento plus size são as mesmas que se aplicam em qualquer outro segmento de moda. No entanto, é importante entender que essa consumidora, mais do que qualquer outra, busca produtos que possam valorizar o seu corpo, por isso, estude sobre consultoria de imagem e saiba trabalhar linhas, direções, cores, estampas, pesos e proporções nos looks que você apresenta em exposição.

Outro aspecto relevante a se considerar: na sociedade as pessoas acima do peso, abaixo ou no peso ideal andam separadas? Não, claro que não. Então porque criar vitrinas especificas para o plus size? Se as vitrinas precisam de verossimilhança, ou seja, reproduzir a vida real, mas de forma encantada, porque você ainda continua segregando pessoas? Faça vitrinas mistas e valorize seus produtos.

A vitrina é seu outdoor, deve atrair o consumidor e será um dos primeiros contatos com a sua marca. A moda plus size é um segmento em ascensão que, em breve, deve ocupar a maior parte das vitrinas e veremos esse termo cair em desuso.


Seja precursor, inove e procure conhecer seu público. Buscar informações e conversar com seus clientes é sua melhor ferramenta de marketing, afinal, o cliente sempre tem as respostas que o varejo quer.

*Surya Guimaraens é colunista colaborativa do MMdaMODA. Formada em Relações Públicas, cursou Visual Merchandising e Produção de Moda no Senac. Atua no varejo de moda, responsável pela aplicação das técnicas de VM em uma loja de departamentos e trabalha como designer de bijuterias para marca que leva seu nome (surya@suryaguimaraens.com.br). 

24 de nov de 2015

ALERTA DE VM - MARCAÇÕES DE LUZ

Muitos usos no visual merchandising e vitrinismo são provenientes de pequenas variações de uma mesma referência: há uma forte exploração da estética, que se esgota, dando inicio a novo desdobramento. 

Um dos usos que se constata no varejo nesse momento são as marcações de luz através de formas. Aliás, cores, formas e texturas são os primeiros elementos vistos por nossos olhos no processo de decomposição de uma imagem. Por isso, trabalhar bem esses elementos numa vitrina é a certeza de estabelecer uma comunicação assertiva, já que são de fácil interpretação e impacto visual.

Lembre-se que essa "luz projetada" e o contraste entre claro e escuro (no caso gerado pela diferença de cores) geram linhas de direção e pontos de atenção que vão guiar o olhar do consumidor. 

Atente-se, então, para direcionar essas linhas para o seu ponto focal: um produto, uma comunicação, um enfeite. 









 
Blogger Templates