17/04/2014

O RETORNO DOS MANEQUINS - tendências em uso e design

Os manequins evoluíram tanto quanto as roupas para quem servem de suporte, incorporando as tendências e influências artísticas de década após década. Na Ralph Pucci International, umas das galerias de exposição de arte e design mais requisitadas da atualidade, não importa o quão radical a forma ou a cor que um manequim possa ter, o processo sempre começa de uma maneira tradicional: com uma ideia e um pouco de argila - veja o video no final do artigo. 
Clique na imagem para conferir o resumo das tendências. 
Podemos dizer que estes são tempos estressantes para um manequim! Afinal, eles estão sob pressão para fazer de tudo um pouco - serem mais glamorosos, mais atléticos, mais bonitos e vender. Mesmo manequins masculinos são obrigados a serem mais flexíveis e mais reais. Os manequins tem sido a última estratégia para estimular a compra por impulso nas lojas físicas, frente à crescente concorrência do e-commerce.

 
Alguns dos incríveis - e realísticos - manequins da marca Rootstein.  
Alguns manequins masculinos da Bergdorf Goodman, por exemplo, têm tatuagens, outros têm duas mãos esquerdas, tudo para atrair a atenção dos consumidores. Manequins que chegaram à Uniqlo no final de março são completamente transparentes. Na Madison Avenue, carro-chefe da marca Intermix, vemos manequins em poses casuais e despojadas.
Depois de cerca de três décadas durante as quais era normal expor manequins sem cabeça ou sem rosto, algumas marcas de luxo, incluindo a Ralph Lauren, estão resgatando as características faciais, maquiagem e perucas. Na Christian Dior os olhos, lábios e unhas dos manequins são magnéticos para torná-los mais flexíveis nas mudanças, assim refletindo melhor a essência das coleções, como a mais recente coleção de maquiagens da marca.

Àqueles que ainda não usam manequins em suas lojas nos EUA estão em fase de testes para confirmar se esse recurso pode estimular os consumidores mais apressados a comprarem mais sem a necessidade de passar pelos provadores. A marca Target experimentou manequins em uma loja piloto próximo a sua sede em Minneapolis, em janeiro desse ano. Agora eles planejam expandir o teste bem-sucedido para as 50 maiores lojas da rede de 1.800 unidades até o verão, disse Joshua Thomas, porta-voz da empresa.
Marcas como a Target rendem-se aos benefícios comerciais dos manequins.
Alguns consumidores "estão à procura de um pouco mais de ajuda com 'o como realmente posso fazer isso?'", disse Thomas, se referindo as coordenações de looks e compras cada vez mais rápidas. A Target também está considerando que clientes apressados ou pouco pacientes precisam otimizar seu tempo dentro de lojas muito grandes. "Se ela [cliente] precisa de uma nova e bonita roupa para vestir para ir à um piquenique no sábado e terá apenas 10 minutos para escolher, logo [os manequins vão] ajudá-la a identificar itens e inspirá-la a economizar tempo".

Em março, a Iconeme, marca recém fundada por dois veteranos da indústria de manequins, lançaram uma tecnologia que transmite informações dos manequins para o smartphone do consumidor ao fazer compras ou passar por uma vitrine. Esses dados podem incluir os preços, onde os itens podem ser encontrados dentro das lojas ou links para o site do varejista.

Mais marcas estão misturando diferentes tipos de manequins, em vez de usar o mesmo estilo em toda a loja. "Você está vendo cada vez mais varejistas fazerem uma combinação de abstrato e real", disse Ken Nisch, presidente da JGA, uma empresa de design de varejo e estratégia de marca. O terceiro andar da loja masculina da Bergdorf Goodman, chamado de Goodman, é um cenário perfeito de manequins de diferentes épocas e em diferentes estilos, disse Shane Ruth, diretora de Visual Merchandising Masculino da marca. Uma investida alta nos consumidores! Mais tatuagens, barba, rugas e linhas de expressão. A mistura de manequins e suas peculiaridades "fazem com que as roupas pareçam ainda mais interessantes", disse Ruth.

Os primeiros manequins usados no varejo remetem ao final de 1800, de acordo com Marsha Bentley Hale, uma historiadora de manequins que ministra aulas sobre o tema em universidades e museus. As cabeças eram de papel machê ou cera, os olhos de vidro e os corpos feitos de materiais como vime e cera, e depois, de plástico. Seu uso cresceu junto com a ascensão das vitrines em 1900.

No final de 1940, manequins de fibra de vidro – mais duráveis – ​​começaram a substituir os de plástico e permitiram detalhes mais nítidos. Nos anos 1980 e 1990, manequins sem rosto e sem cabeça se tornaram mais comuns. Um fator determinante para isso foi o custo: eles não necessitam de cuidados quanto ao cabelo e maquiagem, além de sua estética desatualizar mais lentamente.

Manequins femininos são geralmente do tamanho 38. Adel Rootstein, uma empresa de design de manequins, tem produzido cada vez mais manequins maiores. "Nós fizemos muito mais manequins cheios de curvas ao longo dos últimos anos e coleções", disse Kevin Arpino, diretor de criação. "As roupas de hoje não tem muito apelo de cabide. Você precisa de um corpo dentro para dar-lhe forma e mostrar o corte."
Os manequins têm refletido o padrão real do corpo das mulheres. 
A fibra de vidro branca continua sendo a cor e o material mais populares. A Uniqlo, de propriedade de Fast Retailing Co, tem usado manequins diferentes para uma nova linha em sua loja da Quinta Avenida, em Manhattan. A maioria dos manequins na loja, assim como as outras duas em Nova York, é translúcida e brilha quando a luz os toca, disse Jonathan Berlin, presidente da Universal Display, a empresa britânica que os projetou.

Alguns dos novos manequins da Intermix, varejista de moda de propriedade da Gap posam como modelos de passarela. "Nossos antigos manequins tinha poses mais padrão", disse Cynthia Mollica, Diretora Criativa, Estilo e Visual Merchandising da marca. Outros foram inspirados pela forma como as pessoas reais param para uma foto, com as mãos nos bolsos ou braços cruzados.
Manequins na Intermix com poses de passarela e despojados. 
Os manequins da Athleta, marca de vestuário feminina também de propriedade da Gap, estão em poses de atividade e alongamento (veja imagem abaixo). Os manequins são moldados com base nos corpos de modelos reais da marca, que também são atletas na vida real. Estes manequins "retratam com mais precisão o nosso cliente", disse Tess Roering, vice-presidente de marketing e criatividade.

A marca Macy Inc. está mostrando o que chama de manequins virtuais. Telas transmitem vídeos gravados mudando de aparência frequentemente no ponto de venda (veja o vídeo abaixo). O varejista começou a testar esses “manequins virtuais”, desenvolvido pela Creative Realities LLC, no verão passado nos departamentos de sete lojas. As imagens são "mais educativas do que um manequim tradicional, e podem ser mudadas em poucas semanas", diz James Bellante, vice-presidente sênior de Visual Merchandising da Macy.

Alguns designers e fabricantes baseiam suas esculturas de manequins em modelos, atores ou pessoas reais das ruas. A legendária modelo Twiggy e Pat Cleveland, entre outros, posaram para a fabricante Rootstein. Já a Ralph Pucci tem um manequim de Christy Turlington. As coleções, por vezes, são nomeadas após essas parcerias e os varejistas vão requisitar um estilo de manequim igual ou próximo a proposta. 
Manequim inspirado na atriz Christy Turlington pela Ralph Pucci


Nesse vídeo você conhecerá o processo produtivo e criativo da aclamada Ralph Pucci International. Opção de legenda em espanhol.

Texto de Ray A. Smith para editoria Moda do “The Wall Street Journal”
Tradução, adaptação e complementação de Eduardo Vilas Bôas

15/04/2014

Forever 21 decepciona clientes

Produtos acabam antes do programado e marca não consegue fazer reposição.
24 dias. Esse foi o tempo necessário para esgotar o estoque de roupas da Forever 21, que havia sido programado para durar três meses.

Várias prateleiras estão vazias, muitas araras mostravam roupas repetidas e faltam tamanhos de quase todos os modelos. O segundo andar da loja, antes repleto de opções, foi praticamente tomado por roupas de ginástica.

“Não temos o que fazer, não há mais peças no Brasil. Tivemos que preencher os espaços com o que sobrou”, disse uma vendedora que não quis se identificar. Segundo ela, a marca havia feito um estoque para três meses, mas ele durou pouco mais que três semanas.

A equipe do MMdaMODA esteve na loja e escutou de um funcionário que o novo lote de produtos enviados ao Brasil ainda está preso no Porto de Santos. Enquanto os desembaraços alfandegários não acontecem, as clientes não estão nada felizes. “O único lugar da loja que ainda se parece com a Forever 21 é a seção de bijuterias”, disse uma adolescente.

Lingeries e linha fitness foram utilizadas para cobrir buracos na área de vendas (Foto Lilian Monteiro para MMdaMODA)
   
Lingeries e linha fitness foram utilizadas para cobrir buracos na área de vendas
(Foto Lilian Monteiro para MMdaMODA)

Vitrines Enganosas
Outra cliente indignou-se ao perceber que os modelos que estavam à mostra nas vitrines já estavam esgotados. “Nossas vitrines são mundiais, elas mudam de acordo com a sede. Só podemos trocá-las quando os americanos autorizarem”, explicou a vendedora. “Mas então nada do que está na vitrine está aqui?”, perguntou a cliente. “Não”, respondeu a funcionária.

A falta de produtos já está afetando o a loja. “As pessoas estão vindo cada vez menos, porque estão percebendo que as novidades não estão chegando. O movimento já está bem menor e temos recebido muitas reclamações”, disse um atendente.

Sinal de Sucesso
Enquanto muitos clientes têm evidenciado seu desapontamento via redes sociais, a marca está ´contando vitória´. 

"Nós estamos muito felizes com a resposta excepcional que recebemos de nossos fãs por conta das nossas recentes inaugurações no Brasil. Recentemente, nós fomos informados de que os nossos níveis de mercadorias no Brasil estão abaixo do normal e nós lamentamos qualquer inconveniência que isso tenha causado a nossos clientes. No entanto, um novo carregamento de mercadorias já foi liberado e está a caminho das nossas lojas. Nós esperamos que os consumidores gostem da nova seleção de itens fashion".


Adaptado de Júlia Carvalho para Exame em 09/04/2014 e 11/04/2014.

Zuzu Angel - A Moda Brasileira contra a Ditadura Militar

Durante o mês de março ouvimos (e ainda estamos ouvindo) falar muito sobre o Golpe Militar de 1964, que completou 50 anos no dia 31 de março. Essa história marcou o início de um dos capítulos mais tristes da história de nosso país. Os 21 anos do regime foram pontuados pelo desrespeito aos direitos constitucionais, a censura, perseguição política e repressão. E no meio desse contexto todo, temos uma figura muito importante para a moda brasileira: a estilista Zuzu Angel, que teve seu filho Stuart Angel, um ativista político, torturado e morto pela Ditadura Militar na década de 70, e sua história está sendo contada em uma exposição no Itaú Cultural em São Paulo.

Eu estive essa semana na exposição, e tive a oportunidade de conhecer um pouco mais do trabalho dessa estilista que fez história em nosso país, e divido com vocês os melhores registros dessa visita à exposição.

Zuzu Angel começou sua carreira em 1947 ainda menina como costureira, com o tempo se tornou uma estilista pelo fato de criar sua própria moda com uma linguagem extremamente pessoal. Tratava-se, além disso, de uma moda brasileira com materiais do país e cores tropicais. Misturava renda, seda, fitas e chitas com temas regionais e folclóricos, com estampas de pássaros, borboletas e papagaios. Trouxe também para a moda as pedras brasileiras, fragmentos de bambu, de madeira e conchas. 
                                    
Trabalhos de Zuzu Angel com materiais e estampas inspirados no Brasil, antes do desaparecimento de seu filho, Stuart Angel Jones.    

Na década de 1970 abriu sua loja em Ipanema, no Rio de Janeiro, e encantou o mundo. Conquistou o mercado estadunidense, esteve presente nas vitrines de grandes lojas de departamentos e apareceu em importantes veículos de comunicação dos Estados Unidos. Pioneira, começou a divulgar sua marca colocando-a do lado externo da roupa. Um anjo era seu logotipo e foi muito usado em estampas, bordados e aplicados em vestidos, lenços, blusas e acessórios.

 
Foto 1:Tecido desenvolvido com a estampa de anjo para a marca de Zuzu Angel
Foto 2: Lenço com a estampa de anjo
Foto 3: Logo tipo e comunicação visual da marca Zuzu Angel: Fitas, sacola, carimbo, etiqueta

Sua maior luta pessoal, porém, começou com o sequestro e desaparecimento político de seu filho.  Logo após a morte de Stuart, as torturas que sofreu foram narradas a Zuzu Angel por meio de uma carta do preso político Alex Polari de Alverga.   

Foto 1: Foto de Stuart Angel- Arquivo Pessoal
Foto 2: Foto da Familia- Zuzu Angel e seua três filhos

A partir desse fato, Zuzu Angel passou a usar sua moda como forma de protesto fazendo como ela mesma disse: "A primeira coleção de moda política da história", usando ao lado dos anjos, as figuras de crucifixos, tanques de guerra, pássaros engaiolados, sol atrás das grades.        
                         

Estampa de anjos ao lado do sol atrás das grades, aplicado emm tecido através de bordados

O uso dessas metáforas foi a solução que encontrou para simbolizar em seu trabalho a história de seu filho.     

  Croquis das estampas desenvolvidas por Zuzu Angel para protestar a morte do seu filho pela Ditadura Militar

As estampas das fotos acima aplicadas através do bordado em vestidos, como forma de protesto.



Amostras de bordados em protesto a Ditadura

Em 14 de abril de 1976, na Estrada da Gávea, à saída do Túnel Dois Irmãos (RJ), Zuzu Angel morreu vítima de um acidente automobilístico. Na época, o governo divulgou que a estilista teria dormido ao volante, fato contestado anos depois. Posteriormente, reconheceu-se que a estilista foi vítima de um atentado, mas até hoje as circunstâncias não foram esclarecidas.


Uma semana antes do acidente, Zuzu deixara na casa de Chico Buarque um documento que deveria ser publicado caso algo lhe acontecesse. "Se eu aparecer morta, por acidente ou outro meio, terá sido obra dos assassinos do meu amado filho", dizia.

Sua força e coragem inspiraram o compositor, em parceria com Miltinho do MPB4, a comporem a música "Angélica", cuja letra pergunta, "quem é essa mulher? Em 1993, uma de suas duas filha, a jornalista Hildegard Angel, criou o Instituto Zuzu Angel de Moda do Rio de Janeiro, uma entidade civil sem fins lucrativos.

Na exposição que conta a história da vida de Zuzu Angel, você encontra mais sobre a sua trajetória profissional, sobre seu trabalho antes e depois da morte do seu filho através de vídeos, peças de roupas originais criadas pela estilista, croquis, fotos e documentos.

SERVIÇO
A exposição fica no Itaú Cultural - Avenida Paulista, São Paulo/SP – e vai até 11 de maio de 2014. De terça-feira a sexta-feira, das 9h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. Entrada franca!


Lilian Monteiro e colunista do MMdaMODA. Formada em Moda pela Faculdade Santa Marcelina, com especialização em Consultoria de Moda e Estilo pelo Senac, atua no varejo como Coordenadora Regional de Visual Merchandising nos segmentos de Vestuário e Lar e possui uma marca própria de Camisetas que leva seu nome desenvolvendo trabalhos artesanais (liliansantos.monteiro@gmail.com|www.lilianmonteiro.com.br https://www.facebook.com/pages/Lilian-Monteiro-Consultoria-de-Moda-e-Estilo) 
 

09/04/2014

Marca Sergio K lança coleção homofóbica


A marca Sergio K, famosa por suas t-shirts divertidas, pode ter errado na mão ao lançar camisetas com forte conotação homofóbica, aproveitando-se do momento pré-Copa do Mundo. Na imagem acima (vitrine da loja do Shopping Iguatemi Campinas) vê-se duas peças com as frases "Maradona Mación" (Maradona Bicha) e "C.Ronaldo is gay" (Cristiano Ronaldo é gay). 

Algumas organizações sairam em defesa da causa LGBT. A fan page Cartazes & Tirinhas LGBT publicou que a questão "é torpe, é homofóbico e fere os preceitos mais básicos do Código do Consumidor (“art. 4º a política nacional das relações de consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida...”)."

O proprietário da marca, Sergio Kamalakian, que toma Rivotril todas as noites desde os 14 anos (conforme saiu na reportagem do site Glamurama), não recebeu bem às críticas contra a sua marca e tem rasgado o verbo via twitter. 


03/04/2014

Percepções sobre os cinco sentidos no varejo: o paladar

Para finalizar o assunto “Os Cinco Sentidos no Varejo”, hoje o assunto será o último, mas não menos importante, o paladar.

Quase 90% dos novos produtos alimentícios que são lançados no mercado fracassam, não porque as pessoas não tenham gostado, mas porque nunca sequer experimentaram. Como trocar a marca de margarina que você compra há anos por uma nova se não provar antes da compra? Se o supermercado oferecer ao consumidor uma degustação é provável que ele pense na possibilidade de experimentar a novidade. Se tem gosto, o cliente deveria poder provar.

Uma marca que sabe bem utilizar-se da experiência sensorial é a italiana Eataly, que é uma espécie de supermercado gourmet que, além de mercado, oferece ao consumidor lanchonete, restaurante, açougue, varejão, peixaria, sorveteria e até loja de decoração. E mais ainda: aulas de culinária, espaço para lançamento de livros, degustações e jantares especiais. Nesse local, o cliente é encantado primeiramente pela visão de tamanha variedade de cores e texturas dos alimentos disponíveis para consumo imediato ou para levar para a casa. Depois vem os aromas, que vão do queijo com cheiro forte até a mais delicada guloseima e, por fim, conquista o consumidor de vez ao atingir seu paladar.







É possível (e muito eficaz) criar uma associação com um determinado produto estimulando o paladar do consumidor. Duas marcas, uma brasileira e outra norte americana, tem bons exemplos.

Para o lançamento do perfume Honey, a grife Marc Jacobs customizou um tradicional ônibus londrino com as cores e a imagem da embalagem do perfume o deixou circulando pela capital inglesa. No espaço, os consumidores podiam conhecer a nova fragrância e provar deliciosos muffins em formato de abelha. A associação entre o sabor e o formato de muffin com o perfume que leva o nome Honey e que tem notas de mel, baunilha e madeiras suaves era imediata e imprimia na mente do consumidor a ideia daquele produto quase que instantaneamente. A memória do sabor misturada ao cheiro é de fácil memorização.
  

A nova loja da marca O Boticário, no Morumbi Shopping, em São Paulo, busca estimular todos os sentidos do cliente no ponto de venda (PDV), inclusive o paladar. Nesse novo espaço, existe uma seção chamada Bar de Perfume, onde as fragrâncias são divididas por estado de espírito e estilos associados a cada marca. A experimentação ganha um toque especial com cápsulas perfumadas, além disso, o paladar do cliente é estimulado com balas que tem notas complementares que ativam as notas olfativas.





Mas o estímulo ao paladar não precisa ficar restrito às grandes ações, ele pode também ser inserido no dia da dia de uma loja. E quem acha que o paladar só pode ser trabalhado nos estabelecimentos comerciais que vendem alimentos, engana-se. Fazer as compras e degustar o tradicional cafezinho incentiva a criação de um laço entre a marca e o consumidor.

Outro bom exemplo foi a parceria da marca Le lis Blanc com a indústria de biscoitos Miragina. Em 2009, as lojas Le Lis Blanc além de oferecer o tradicional cafezinho tinham os biscoitos de castanha e as castanhas fatiadas para agradar o paladar dos seus clientes. Além de poder degustar durante ou depois das compras, o cliente podia levar essas guloseimas para a casa.

É cultural no nosso país associar cuidado, apreço e atenção às pessoas oferecendo alimentos a elas. Mas esteja atento para o foco de sua marca: se a loja vende roupas não é legal que o aroma presente seja o de café ou de um bolo saindo do forno. Cuide para o aroma do cafezinho fique restrito ao local onde é feito e que sua marca seja lembrada pelo “mimo” recebido.  

Fontes:
Vamos às Compras – Paco Underhill
Revista AlShop – Edição Outubro de 2013
Revista AlShop – Edição Setembro de 2013
www.portodososlados.com.br
http://youngandfoodish.com
http://www.beautyfair.com.br/negocios/noticia/2468.html

http://revistaestreia.blogspot.com.br/2013/05/beleza-o-boticario-apresenta-novo.html

Carla Barroso Marks é colunista do MMdaMODA. Tecnóloga em Processamento de Dados e Pós-Graduada em Gerenciamento de Marketing, trabalha na área de Visual Merchandising & Store Design desde de 2003 no varejo de moda (carlamarks@terra.com.br)

Este artigo não reflete necessariamente as opiniões do MMdaMODA. © 2010 - 2014. Todos direitos reservados a Moda, Marketing & Merchandising. Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem autorização.

29/03/2014

CRIANDO VITRINES ATRAVÉS DOS SETE ESTILOS UNIVERSAIS

Na matéria anterior vimos a importância da harmonia dos elementos que compõe uma vitrine, também vimos que para selecionar esses elementos e obter resultados satisfatórios ao criar uma vitrine é necessário levar em consideração o público-alvo e o local do estabelecimento.

No artigo de hoje vamos ver como identificar o estilo de se vestir do seu consumidor, como ele manifesta sua identidade e sinaliza para os outros de que forma quer ser tratado, através dos estudos dos Sete Estilos Universais para homens e mulheres.

Mais do que o ato de vestir, o estilo está relacionado ao modo de ser, de pensar, de agir, de trabalhar, de se libertar e se de comunicar. Para traduzir o estilo de cada pessoa, estudos de marketing sobre perfil e comportamento de consumidores na década de 80 determinaram o termo “Estilo Universal”, que descreve  a combinação de estilos que melhor reflete a totalidade de um indivíduo. Com esse estudo, foram definidos “sete estilos universais”.

Sempre apresentamos um estilo que é predominante, que é a nossa identidade e podemos ter os estilos complementares e combinar elementos de cada um pra “formatar” um estilo único.  O segredo é saber manipular porções das preferências do seu público-alvo, gostos e características para traduzir na vitrine a identificação do seu cliente com sua marca, com coerência e segurança o que tem mais a ver com ele. Vejamos um pouco sobre cada um dos sete estilos que são:

Romântico: A mulher e o homem românticos mostram seu interior sentimental pelo seu modo singular de se vestir. A mulher romântica é extremamente feminina, charmosa, meiga, delicada, frágil, gentil, atenciosa e suave. E o homem romântico, mais conhecido como retrô, é cavalheiro, atencioso, gentil, nerd e dão valor sentimental as peças.

Elementos que definem o estilo romântico: Tecidos fluidos, macios, lisos como seda lavada, linho, tencel, algodão, viscose, rendas, babados, laços, cores suaves, neutras, monocromáticas, estampas com motivos florais e arredondadas, chapéus e lenços de bolso para os homens, assim como o suspensório, o cardigan e demais peças de brechó. Para a mulher fica evidente a silhueta anos 50.  


Tradicional ou Clássico: como o próprio nome indica, a mulher e o homem clássicos se vestem de maneira tradicional. Não seguem a moda, optam por modelagens clássicas, conservadoras, estruturadas, tudo em linha reta e sem detalhes, sendo sempre muito discretos. São pessoas mais sérias, que valorizam o aspecto profissional e a formalidade. Buscam transmitir uma mensagem de uma pessoa conservadora, autoritária, reservada, organizada e de respeito.
                                                                                                     
Elementos que definem o estilo tradicional: tecidos de alfaiataria com padronagem clássica como o xadrez, pied pul, Príncipe de Gales, camisas, blazers, peças formais com linhas restas, simples, sapatos de couro, lenços, cores sóbrias e neutras. Valorizam a qualidade dos produtos, buscam segurança e durabilidade, pois fazem compras mais racionais.



Moderno: também conhecido como Expressivo é a mulher e o homem modernos totalmente opostos o estilo tradicional. Pessoas com estilo moderno seguem a moda, tudo que é atual e vanguarda. São ousados, não tem medo de errar na forma de se vestir, por isso suas peças sempre têm muita informação, seja nas texturas, modelagem ou estampas.

Traços de personalidade: pessoas criativas, ligada a tecnologia, cinema, arte e a moda. São inovadoras e de vanguarda.                                                                                                                                   
Elementos que definem o estilo moderno: Tecidos naturais e tecnológicos, jeans, malha, cores cinza, preto, marinho, cores fortes e vivas também estão presentes no seu estilo. Mix de estampas e texturas, modelagens e detalhes diferenciados, recortes, drapeados e volumes. Valorizam tudo que é étnico.


Elegante: O Estilo elegante traduz a essência do menos é mais. As peças de roupas da pessoa elegante são sempre escolhidas pela aparência impecável, pelo bom corte e caimento.

Traços de personalidade: seguro de si, tem opinião firme é sofisticado, imponente, reservado, pessoa culta e exigente.

Elementos que definem o estilo elegante: peças confeccionadas com tecidos nobres como sedas e fibras naturais sem nenhuma textura, cores médias e escuras, coordenação de cores em tom sobre tom, bege, preto, marinho e grafite são suas cores preferidas. Dificilmente usa estampa e quando usam, as estampas são discretas com combinações monocromáticas. Seus acessórios são discretos porem luxuosos como sapato e cinto de couro, joias ou semijoias chapéu, gravata, lenço e um belo relógio.


Esportivo: também conhecido como Despojado, reflete as pessoas que buscam praticidade, conforto e jovialidade. Pessoas com o estilo esportivo escolhem peças confortáveis, funcionais, que são fáceis de usar e de manter. Primam pelo conforto, nada pode apertar ou precisar de qualquer cuidado especial.                                                                                                                                                                               
Traços de personalidade: Seu espírito é livre e seus looks refletem isso.                                                  
Elementos que definem o estilo Moderno: peças de malhas, folgadas, calças e blusas de moletom, tênis, tecidos de fibras naturais, sarja, veludo, tricô grosso, tecidos tecnológicos, malhas e jeans. Cores vivas como azul, amarelo e verde são coordenadas com bege, marinho, branco, preto e cinza as estampas são sempre localizadas com motivo de bichos, números, bandeiras e mensagens.


Criativo: Para a mulher ou o homem criativo a vida é uma arte, e por isso faz de seus looks uma vitrine pessoal dessa arte presente em sua alma. Esta sempre passeando nos estilos de looks variados, sempre criando um mix de cores, texturas, formas, estampas e estilo.  
                     
Traços de personalidade: É inovador, artístico, criativo, exótico, étnico, aventureiro e autoconfiante.

Elementos que definem o estilo Criativo: Muita cor viva e forte, estampas localizadas, corrida, xadrez, florais, étnico sempre muito extravagante e original. Peças e acessórios nada convencionais, sapatos de solados grossos de borracha, peças antigas muitas vezes de brechós sempre coordenadas com peças modernas.


Sexy: Para a mulher sexy sua natureza sensual torna sua exuberância um fato simples aos seus olhos. Já o homem com o estilo sexy passa uma mensagem de glamour, que gosta de ser desejado e é muito preocupado com o corpo.

Característica da mulher Sexy: Ela não tem inibição, é corajosa, confiante, provocativa, desinibida, excitante e sensual.                                                                                                                 

Característica do homem Sexy: Gosta de ser notado, de sentir –se admirado, e é o que mais se destaca em festas, pois seu glamour é percebido por todos.


Lilian Monteiro e colunista do MMdaMODA. Formada em Moda pela Faculdade Santa Marcelina, com especialização em Consultoria de Moda e Estilo pelo Senac, atua no varejo como Coordenadora Regional de Visual Merchandising nos segmentos de Vestuário e Lar e possui uma marca própria de Camisetas que leva seu nome desenvolvendo trabalhos artesanais (liliansantos.monteiro@gmail.com|www.lilianmonteiro.com.br https://www.facebook.com/pages/Lilian-Monteiro-Consultoria-de-Moda-e-Estilo)