Cinco conceitos fundamentais sobre iluminação no Vitrinismo

iluminação projeto vitrine

Quando pensamos em iluminação para vitrinas sua resolução técnica é um pouco diferente daquela empregada no ponto de venda, isso porque dentro da loja precisamos garantir visibilidade em vários pontos focais e uma luz geral média suficientemente clara, enquanto na vitrina existirá apenas um ponto focal. Outros aspectos, no entanto, permanecem os mesmos, principalmente aqueles associados ao efeito da luz na percepção das cores.

Por isso, um bom vitrinista precisa compreender tudo que envolve a iluminação do seu projeto. Vejamos cinco conceitos fundamentais para o vitrinismo.

Temperatura de cor: É a grandeza que expressa a aparência da cor da luz, representada pela unidade de medida kelvin [K]. Quanto mais alta a temperatura de cor, mais branca será a cor da luz emitida. Existem três principais temperaturas: luz amarela, luz branca e branco azulada. A tabela a seguir ajuda a compreender os efeitos causados por essas cores e, com isso, sua aplicação no varejo. Destaco que as temperaturas de cor mais azuladas devem ser evitadas (ou usadas com muito critério) no varejo por serem muito estimulantes, podendo causar até desconforto visual.

Índice de Reprodução de Cor (IRC): Ainda que tenham a mesma cor de luz, as lâmpadas podem ter diferentes índices de reprodução de cor, que é a medida de correspondência entre a “cor real” de um objeto ou superfície e sua aparência diante de uma fonte de luminosa. A luz artificial, como regra, deve permitir ao olho humano perceber as cores corretamente, isto é, o mais próximo possível daquela cor percebida à luz natural. No exemplo abaixo você pode ver como lâmpadas com IRC diferentes alteram significativamente a percepção da cor de um ambiente.

Dimmabilidade: dimmers são dispositivos utilizados para variar a intensidade de uma corrente elétrica média em uma carga. Eles consistem de gradadores que, através da diminuição ou aumento da tensão e, portanto, um aumento da potência média de uma lâmpada, controlam a intensidade da luz produzida pela mesma. O escurecimento das vitrinas pode garantir que objetos totalmente iluminados pelas luzes de destaque permaneçam no foco de atenção. Para iluminação de fundo, 70% da luz é suficiente e proporcionará um ambiente apropriado para um manequim iluminado a 100% se destacar.

Iluminação diurna e o brilho excessivo: vitrinas de rua exigem iluminação adicional para combater o efeito da luz solar (reflexo) na visibilidade através do vidro, ou seja, vitrinas mesmo durante o dia devem ter boa iluminação e ficar acesas. À noite, a luz deve ser mais fraca para ser visualmente atraente em relação à rua que terá menor luminosidade. Dica: desligar 30% da iluminação diurna durante à noite para reduzir os níveis de luz para o alcance de aprox. 1150 Lux.

*Lux é quantidade de luz dentro de um ambiente e pode ser medida com o auxílio de um luxímetro.

Filtros cromáticos: Podemos modificar a cor de luz de um projeto alterando-a através dos filtros cromáticos. É possível sobrepor os filtros sem precisar trocar as lâmpadas por outras coloridas. Dessa forma, aplicamos sobre os refletores uma gelatina cenográfica que produzirá uma “luz colorida”, a qual “tingirá” toda superfície a que tocar. Importante escolher a gelatina adequada ao tipo de fonte luminosa, para isso, vale consultar os catálogos técnicos (veja essa indicação) dos diversos fornecedores de filtros cromáticos que existem no mercado.

(Visited 207 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais