Cuba, grafite, games e povos do sol são tendências de moda para a Primavera Verão 2016/2017

SeminC3A1rioTendC3AAnciasPrimaveraVerC3A3o20162017Tendere287229
Aconteceu dia 22/05, no auditório da Livraria da Vila no Galleria Shopping, em Campinas/SP, a 7ª edição do Seminário de Tendências Primavera-Verão 2016/2017, organizado pela Tendere – Pesquisa de Tendências e Soluções em Negócios da Moda. Foram apresentados os resultados dos estudos e pesquisas realizados em feiras especializadas e exposições de arte, design e moda (nacionais e internacionais) ao longo de 2014 e início de 2015.
 +
A pesquisa de tendências promovida pela Tendere foca o Hemisfério Sul, com total atenção as especificidades do mercado brasileiro e latino. A metodologia privilegia a análise de quatro grandes grupos responsáveis pela formação do gosto regional, chamados de Tropical Pop, Karioka (praiano), Latino Urbano e Sofisticado.
+
A partir da interpretação de cenários políticos, econômicos e sociais, uma tendência é apontada para cada grupo de gosto, chegando aos quatro temas que vão nortear toda a produção de moda Primavera Verão 2016/2017.
+
As perspectivas para esse período são moderadamente positivas, com crescimento lento e contínuo, em função da retomada do crescimento das regiões que hoje estão em crise e das novas fronteiras de consumo em países emergentes e também:
  • do endividamento das famílias assumido entre 2012 e 2014;
  • da falta de condições de crédito;
  • do fim dos incentivos fiscais do Governo;
  • e a cultura de consumo já não é impulsiva, haja vista que o furor do acesso a compra passou e as pessoas estarão mais comedidas, vide o crescimento do varejo em 2010 que foi de 10,9%, enquanto a previsão para 2017 é de 3,4-3,8%.
+
Somado a isso, vê-se a entrada de fato das Gerações Y e Z ao mercado de consumo, que será responsável por 50% do consumo, o que exigirá maior atenção na gestão das marcas, já que as demandas desse público são diferentes de outras gerações.
 +
As quatro macrotendências identificadas são:
 +
Cuba Livre – influência de Cuba: anos 50, cassinos, Buena Vista Social Club, bordados, cores fortes, excessos, alegria nas estampas, ombros à mostra, acessórios em palha e madeira, muito rosa e amarelo. Destaque para o modelo de camisas guayabera.
 +
 +
Povos do Sol – influência dos povos desérticos, como a estética marroquina e do cangaço brasileiro. Presença de metal oxidado, caftans, acessórios pesados e excessivos, fluidez nos tecidos
naturais (algodão, linho) em tons terrosos e transparências. Referência: obra de Jill Ricci.
 +
 +
Grafite Game – influência da lógica digital. Forte referência a jogos do passado, como o Pac-Man. Cores brilhantes sob fundo preto e interferência direta da cultura de rua (como o grafite) na cultua digital, o que deve ser convertido num prisma cromático e em materiais plásticos. Referência: grafiteiros Osgemeos.
+
+
CtrlC/CtrlV – a pesquisa foi iniciada a partir do artista Alex Katz. Seu processo de colagem é pintar, recortar a pintura que fez e colá-la de novo, assim há fortes referencias de apropriação, collage, rearticulação e estética hipster de misturar diversos retrôs… Referência: Roksanda Ilincic, resort 2015.
+
Gostou dos apontamentos? Então participe da próxima edição e não perca nenhum detalhe! Veja alguns cliques do evento.
+
Vivian Berto realizando a abertura.
Natalia Nicoletti falando sobre jeans wear.
Patricia Sant´Anna palestrando sobre macrotendências.
(esq) Angela Pimentel (Consultora de Etiqueta) e Lu Haddad (Unikko)
Sorteio de presentes, inclusive o curso do MMdaMODA.
Eduardo Vilas Bôas (MMdaMODA), Patrícia Sant´Anna (Tendere) e Brigida Cruz (QueChuchu)
 
(Visited 342 times, 1 visits today)
SHARE THIS

RELATED ARTICLES

1 COMENTÁRIO

LEAVE COMMENT

Curso livre a distância

CURSO LIVRE (a distância) EM VISUAL MERCHANDISING DE MODA

O curso online de Visual Merchandising de Moda do MMdaMODA abrange conceitos teóricos e práticas de mercado e está pautado em fotos, vídeos, cases de sucesso e materiais complementares, como artigos e reportagens.

Saiba mais